O Alegria

in Tempoesia. (p.19-22) Litteris Editora, RJ, 2010.

O Alegria


O que é que vocês fizeram?
Estão matando o Alegria!
Logo eu?
Eu gosto tanto de sorrir...
Adoro brincar com você!
Você não gosta mais de mim?
Por que?
Por que vocês me fazem sofrer?
Vocês não gostam do Alegria?
Querem que eu saia daqui?
Ninguém mais aqui quer Alegria?

Ah, eu sei que não é assim...
Eu sinto!
Eu sei que ainda tem
um pouquinho de mim por aí!

Lembra daquele jeito de criança?
(de olhar pedindo)
Aquele sorriso tão grande
pulando corda,
jogando bola,
ter um montão de amigos.
Eu sei que isso não acabou!

Eu sei;
Às vezes parece que o amor está quase acabando.
A gente pensa que não tem mais jeito.
É tanta gente triste,
de cabeça baixa,
te olhando feio...
Às vezes você tem a impressão de que tudo
sempre foi assim,
não é?
Vem aquela sensação de que
"não adianta tentar,
tudo vai conyinuar ruim".

Não deixe isso acontecer com a gente!
Gente, tudo muda!
Só depende da gente!

Olha, eu conheço uma pessoa;
ela é muito amiga do Alegria!
O nome dela é Esperança;
ela está sempre junto de mim.
E, não venham me dizer que não!
Eu sei que vocês a conhecem!
Nós estamos sempre juntos:
A Esperança e O Alegria!
Acreditem nela
e, não se esqueçam de mim...

Um comentário:

Duo Postal disse...

Tudo bom! Sou o Marcelo Mesquita amigo da Anne, peguei seu livro emprestado com ela e gostei muito. Eu e outra amiga estamos criando um blog e ficaríamos satisfeitos se você fizesse um comentário nele, se quiser nos seguir sinta-se também à vontade, um forte abraço!!!